MACBETHS

Luísa Costa Gomes
2018

macbeths

Sinopse

Macbeths não é Macbeth, embora também o seja. É uma peça-em-peças, construída com excertos de outros textos de Shakespeare, nomeadamente Ricardo II, Otelo, Hamlet, Rei João, Como queiram, Henrique V, O mercador de Veneza e um ou outro soneto. Macbeths pretende imaginar o que não se vê em Macbeth, sobretudo no que diz respeito às peripécias da acção de Lady Macbeth, mantendo ao mesmo tempo intocado em linhas gerais o enredo da tragédia de Shakespeare. Aqui segue-se Lady Macbeth nas suas repetidas tentativas de reposição da boa ordem. A peça constrói-se em três momentos: primeiro, o sonho do poder, plantado em ambos pela superstição de um destino superior; segue-se o tédio e o pesadelo do poder, depois do assassinato do Rei Duncan, que leva Lady Macbeth ao remorso, Macbeth à orgia homicida - e o casal à separação de facto. Enquanto Macbeth destrói, a Senhora procura minimizar os danos, dilacerada entre a necessidade de não abandonar Macbeth tresloucado e suicida e a necessidade de não ser sua cúmplice na destruição.
Porquê e para quê remexer em textos perfeitos? Para quê estragar o que é tão belo e tão verdadeiro? Talvez não passe, também este tipo de respeitosa e amorosa paródia, de um vão exercício de poder. Mas Macbeth, sendo uma tragédia perfeita, um texto que não esmorece, que não perde vitalidade, que continua a convocar-nos, gera esta e infinitas leituras. Impôs-se-me outra versão de Lady Macbeth, para além da mulher que é serpente tentadora, da figura diabólica que manipula, força e depois abandona o cúmplice e se abandona ela própria à loucura. Partindo daquele enigmático desmaio, daquele “Oh, ajudai-me!”, fui à procura da outra metade da peça, e pensar o que terá ela andado a fazer fora de cena. Quem é ela? Quais os seus motivos, o motivo do seu desmaio, que amor desvairado é o seu, que suposta loucura…para além da harpia, da bruxa má, da mãe castradora, andei à procura dela e o que encontrei…foi outra pessoa.
Luísa Costa Gomes

Ficha Técnica

MACBETHS: dramaturgia e tradução: Luísa Costa Gomes; com textos de William Skakespeare (Ricardo II, Rei João, Macbeth, Dois Cavalheiros de Verona, Júlio César, Otelo, Como Queiram, Hamlet, Cimbeline, Henrique V, O Mercador de Veneza; encenação: António Pires; intérpretes: Margarida Vila-Nova, Cláudio da Silva, João Cabral; elenco Act School: Andreia Galamba, Beatriz Andrez, Catarina Berkemeier, Clarisse Ricardo, Constança Brandling, David Medeiros, Filipe de Castro, Francisco Beatriz, Margarida Leão, Mariana de Almeida Fernandes, Ruben Brandão, Salvador Nery e Vanessa Varela; cenografia: Nuno Esteves (Blue); figurinos: Dino Alves; movimento: Paula Careto; curador para o ano da pintura: Nuno Faria; apoio de voz: Teresa Lima; caracterização: Ivan Coletti; desenho de luz: Rui Seabra; sonoplastia: Paulo Abelho; assistente de cenografia: Marta Ferreira; assistente de figurinos: Margarida Sales; assistente de iluminação: Cláudio Marto; assistente de som: Guilherme Alves; ilustração: Joana Villaverde; direcção de cena e legendagem: Carolina Campanela; coordenação de produção: Marta Moreira; spot e fotografia de cena: Maria Antunes; direcção de produção: Ivan Coletti; comunicação: Maria João Moura; administração de produção: Ana Bordalo; produtor: Alexandre Oliveira; co-produção: Act - Escola de Actores; produção: Ar de Filmes / Teatro do Bairro.
Agradecimentos/Thanks to: Museu Arqueológico do Carmo, EDP, E.B.S.Passos Manuel, José Arnaut, Célia Pereira, Fernando Rebelo..
Dur.Aprox.: 105 m . M/14

Estreia: Museu Arqueológico do Carmo . 1 a 18 AGOSTO

Fotos

Trailer