A FARSA DAS CIGANAS

a partir de Gil Vicente e Federico Garcia Lorca
2008

A FARSA DAS CIGANAS

Sinopse

Partindo do ambiente de festa e divertimento que nos propõe Gil Vicente, um grupo de actores, representando ciganos, chega ao local do espectáculo (palco ou ar livre). Aparecem como que transportados por um objecto de cena que alude a uma carroça, quase de circo, de saltimbancos, com objectos trazidos de outras paragens: lanternas, arcas, tecidos e um realejo que acompanha as suas canções. É nesse ambiente de festa que entram, cantando “Romance de La Luna, Luna” de Lorca. Em seguida, é dramatizada a primeira parte da “ Farsa das Ciganas” que, tal como no texto de Gil Vicente, termina com uma canção. Depois contam-se histórias extraídas do “Romancero Gitano”: “Preciosa y el Aire” e “Perdimiento de António el Camborio in el Camino de Sevilla”. As ciganas retomam a representação do texto de Gil Vicente, misturam-se na plateia e interagem com o público em ambiente de festa. Para o final, cantam de Lorca “Burla de Dom Pedro a Caballo”. E como entraram, se vão.

Ficha Técnica

Autores: Gil Vicente e Frederico Garcia Lorca | Encenação: António Pires

Com: Graciano Dias, Sofia Petinga e Solange Santos

Cenografia: Marta Pedroso | Figurinos: Marta Pedroso | Direcção de Cena: Diana Crispim | Direcção de Produção: Ana Bordalo | Produtor: Alexandre Oliveira

Fotos

A FARSA DAS CIGANAS A FARSA DAS CIGANAS A FARSA DAS CIGANAS